Os sacerdotes violavam o sábado?

Existe nas escrituras um versículo que trata-se de uma afirmação feita por Cristo de que os próprios sacerdotes de Deus violavam a ordenança de guardar o sábado e pior, dentro do próprio templo sagrado e por cima de tudo, ficavam sem culpa perante Deus!

 

Esse tipo de passagem bíblica coloca então em total descrédito a santidade do sétimo dia e a real necessidade de deste ser guardado e santificado. Também coloca em dúvida a validade daquilo que Deus ordena à Seu povo.

 

E o pior; trava uma enorme contradição bíblica! Pois ao lermos o antigo testamento, vemos por diversas vezes Deus cobrando Seu povo a manter-se firmes e diligentes em questão a obediência sobre o mandamentos referente ao sétimo dia e por muitas vezes, foram severamente castigados perante a desobediência de tal. 

 

Teriam realmente os próprios sacerdotes de Deus profanado o mandamento do sábado? Vamos então neste estudo descobrir a realidade sobre tal afirmação de Cristo.

 

Vamos ler esta passagem bíblica supracitada de acordo com nossa bíblia atual:

 

 ★   "Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?"  -  Mateus 12:5 


 

Neste contexto, os adversários de Cristo estavam afirmando que Ele e seus discípulos profanavam o sábado engajando-se em alguma forma de atividade proibida nesse dia. 

Eles estavam passando por uma plantação e como estavam famintos, acabaram colhendo espigas de milho para comer. Vendo aquilo, os fariseus os repreenderam acusando-os de transgredir o mandamento do sábado com tal atitude.

 

Cristo então naquela situação colocou em “xeque” o ângulo de julgamento que os fariseus tinham em relação ao referido mandamento.

 

Cristo então citou o ocorrido no qual Davi e seus companheiros quando estavam em fuga do rei Saul, chegaram a cidade de Nobe e então Davi foi falar com o sacerdote Aimeleque e disse que estavam então famintos. Então, o sacerdotes lhes ofereceu os pães da proposição; que eram pães sagrados nos quais somente os sacerdotes poderiam comê-los. 

 

Cristo havia apresentado tal analogia com intuito de mostrar de que a preservação da vida em casos extremos, que é de fato a maior criação de Deus, estava acima de qualquer mandamento. E por isso que o ato de Davi e seus companheiros terem comido tais pães sagrados naquela ocasião específica onde havia risco de morte, não fora considerado transgressão da mesma forma que,  Cristo e seus apóstolos terem colhido espigas para se alimentarem também não era.

 

A linha tênue entre salvar uma vida e transgredir um mandamento seja qual for, estava sendo então esclarecida por Cristo na passagem deste capítulo.

 

Ele lembrou-lhes que os sacerdotes também "trabalhavam"; executando serviços religiosos em prol da espiritualidade de Israel e também eles eram na época os médicos do povo e tais serviços não podiam cessar aos sábados e eles ficavam sem culpa; ou seja, não eram imputados tais serviços como transgressões. 

 

Pois o que os sacerdotes faziam no sábado, estava em total harmonia com a lei; era lícito !! Mesmo que a cada sábado se ocupassem no trabalho de oferecer sacrifícios e demais oblações, pregar a palavra de Deus e também cuidar dos doentes, feridos, idosos e parturientes.

 

Para quem não conhece profundamente a lei de Deus, pode parecer até contraditório, mas o dia em que os sacerdotes mais "trabalhavam" era no dia do sábado desde o momento que o referido mandamento foi reordenado para a nação de Israel.


 

Para deixar a explicação mais clara vamos trazer o texto de João 7:23-24:

 

 ✎   "Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça."  -  João 7:23,24 

 

Então podemos ver também por esta passagem de que haviam sim exceções dentro da torah (lei de Deus). Onde se podia praticar a circuncisão como cumprimento desta ordenança inclusive dentro de um sábado.




 

Voltando à situação de Mateus 12, o uso por Cristo da palavra “violar” deve ser compreendido no contexto da controvérsia pois o propósito dessa argumentação de Cristo mediante a acusação de ser transgressor do sábado ao simplesmente matar sua fome e realizar milagres é:

 

✳  "se minhas ações de milagres vocês acusam de violação do sábado, os serviços religiosos do templo que vocês tanto praticam para perdão de seus próprios pecados no sábado também são"

 

Porém, afirmar que Cristo realmente quis dizer que os sacerdotes, cujas ações de exercer seu sacerdócio no sábado era profanação ao santo dia, nos leva a uma conclusão divergente com a própria palavra do Eterno. 


 

Para alicerçarmos mais esta explicação vamos para a análise gramatical grega do texto original de Mateus 12:5 conforme você está visualizando no manuscrito do códice sinaítico aqui ao lado.


 

Como está na versão Almeida

 

 ✎  "Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?"  -  Mateus 12:5 


 

Forma original do texto bíblico 

 

✎  "  οὐκ  ἀνέγνωτε  ἐν  τῷ  νόμῳ  ὅτι  τοῖς  σάββασιν  οἱ  ἱερεῖς  ἐν  τῷ  ἱερῷ  τὸ  σάββατον  βεβηλοῦσιν  καὶ  ἀναίτιοί  εἰσιν "

     

 

 ➟  Note que está grifada a palavra no verbo auristo indicativo é ἀνέγνωτε (anegnôte). O grego teve origem na lingua fenícia e por isso uma de suas características é que uma mesma palavra pode representar vários significados simultâneos ou isoladamente.

O verbo ἀνέγνωτε (anegnôte), então citado, tem como significados:   reconhecer, discernir, ler, saber, ter certeza - ref. G314.

 

Então, levando em consideração a lógica de que os sacerdotes de fato não violavam o mandamento do sábado e ainda mais no próprio templo sagrado, vamos ver a tradução que melhor se encaixa nesta passagem.



 

Tradução fiel ao escrito original

 

✎ “ou não distinguem pela lei que nos sábados, os sacerdotes no templo violam os sábados e estão inocentes?” 


 

Comparando as diferenças

 

  • "...ou não leram na lei que..."

  • "... ou não distinguem pela lei que..."

 

No campo do compreendimento a troca destas palavras fazem muita diferença.

 

 

Claramente perante este texto notamos que a intenção de Cristo era de alertar de que existem exceções na lei e que dentro dessas exceções todos são inocentes e de que devemos sempre fazer julgamentos usando sabedoria e misericórdia assim como faz Deus.



 

VAMOS ANALISAR UM EXEMPLO DE TAIS EXCEÇÕES


"Não furtarás" -  (Êxodo 20:15)

O oitavo mandamento por exemplo; diz: “Não furtarás”. Trata-se de um mandamento inquestionavelmente moral. 

 

Moisés foi instruído a dizer ao povo que, se uma pessoa passasse pela seara de alguém, podia satisfazer sua fome comendo até se fartar, embora não pudesse carregar nada (Deuteronômio 23:24-25). Se uma pessoa faminta comesse as uvas de seu próximo, violaria a lei contra o furto? Não. Por que? Porque o Deus que deu a lei declarou que tal atitude estava em harmonia com a lei. 


 

"Não matarás" -  (Êxodo 20:13)

Já o sexto mandamento do decálogo proíbe o homicídio. Porém de acordo com a lei de Deus, se um ladrão invadisse uma propriedade a noite, e o proprietário o ferisse para proteger seu patrimônio e sua família e acabasse o matando, esse proprietário não seria culpado por tal morte. (Ex 22:2-3)



 

O mesmo é verdade quanto ao mandamento do sábado. Nem Cristo nem os sacerdotes violaram ou anularam o mandamento fazendo o bem ao próximo, porque o mesmo Deus que deu a ordenança sobre o sétimo dia, também declarou que o serviço dos sacerdotes e o “fazer o bem” eram “lícitos” nesse dia.

 

Por isso que neste mesmo capítulo, Jesus disse que “é lícito fazer o bem no sábado” e que Ele “até do sábado é o senhor”. Farei uma análise mais profunda brevemente sobre estas duas afirmações aqui no canal.


 

Os fariseus pregavam a forma "dolorosa"  de guardar os mandamentos de Deus.  A vontade de Deus pelo amor e caridade, dando mais valor do que aos sacrifícios (holocaustos), ecoa em todos os livros da Escritura Sagrada. 

 

E tudo fica ainda mais claro quando compreendemos o que de fato é proibido no sábado:

Ao analisarmos Êxodo 20:10 segundo você está observando aqui do lado através do manuscrito semítico do códex Leningrad, o tipo de atividade proibida no shabat (sábado), aqui mencionada na escritura  e grifada por mim trata-se da palavra hebraica que foi traduzida como |nenhuma obra|, mas que na verdade é esta expressão:  כָל־ מְלָאכָ֡֜ה (kal melachach), na qual significa trabalho laboral, profissional, lucrativo, servil. 

 

Então, o que realmente é proibido neste dia são estes tipos de atividades e não serviços religiosos, médicos e até de segurança pública pois não há relatos nas escrituras de que os soldados de Israel suspendiam suas atividades no sábado deixando toda a nação desprotegida contra ataques de reinos inimigos.


 

MAIS UMA IRREFUTÁVEL PROVA BÍBLICA DE QUE OS SACERDOTES NÃO FICAVAM SEM CULPA SE REALMENTE TRANSGREDISSEM O SÁBADO ESTÁ NO LIVRO DE EZEQUIEL 22, ONDE DEUS ACUSA SEU POVO, INCLUSIVE SEUS SACERDOTES DE PROFANAREM O DIA SANTO E DERRAMA SUA IRA SOBRE ELES.


 

ENTÃO NÃO! OS SACERDOTES NA VERDADE, NÃO VIOLAVAM O SÁBADO E FICAVAM SEM CULPA PERANTE DEUS!!

20200724_145450.png
20200724_145040.png
20200724_144508.png

Estudos &

Análises

Sobre a CCB

Informações

& Curiosidades

ESTA NÃO É A PÁGINA OFICIAL DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

Os estudos, análises e opiniões presentes nesta página e no canal não são provenientes do ministério da CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL e sim, feitos por mim de forma independente.

C.C.B. ESTUDOS - Centro de Capacitação Bíblica