A lei dietética

ESTUDO SOBRE AS ESPÉCIES DE  ANIMAIS

 

Existe um grande e interminável embate teológico na questão de que se as ordenanças do Criador referente a alimentação ainda são ou não válidas para os cristãos.

 

Através deste estudo, vou me dedicar para lhe apresentar provas bíblicas de que sim; tais ordenanças são totalmente válidas para àqueles que desejam viver em obediência ao Deus de Israel.

 

 ✪  Leia a lei dietética em Levítico 11

 

Lemos em Levítico 11, uma lista de animais que o Criador nos apresenta contendo uma série destes em que podemos e não podemos usar para alimentação. São os animais puros e impuros.

 

Vamos conferir abaixo,  as designações daqueles que são puros para o consumo.




 

❖ ANIMAIS TERRESTRES ❖


 

Mamíferos 

 

Vamos então ler o que consta nas escrituras em relação a esta classe de animais: 

 

Levítico 11:1-8

O Senhor disse a Moisés e a Arão: “Deem as seguintes instruções ao povo de Israel. “De todos os animais que vivem em terra, estes são os que vocês poderão consumir como alimento: qualquer animal que tenha os cascos divididos em duas partes e que rumine. Mas, se o animal não apresentar essas duas características, não pode ser consumido. O camelo rumina, mas não tem os cascos divididos, de modo que é impuro para vocês. O coelho silvestre rumina, mas não tem cascos divididos, por isso é impuro. A lebre rumina, mas não tem cascos divididos, de modo que é impura. O porco, embora tenha os cascos divididos, não rumina e, portanto, também é impuro. Não comerão a carne desses animais nem tocarão em seu cadáver. São cerimonialmente impuros para vocês.

 

Conforme as orientações contidas, dos animais terrestres mamíferos, somente os animais que ruminam e possuem cascos fendidos (juntamente os dois sinais mencionados), são puros. Vacas, carneiros e cabras servem como exemplos. Um animal que tenha apenas um dos dois sinais não é puro.

 

Curiosamente, as Escrituras enumeram apenas quatro animais que ruminam ou possuem os cascos fendidos, mas não atendem a ambos os requisitos; que são o porco, o coelho, o camelo e a lebre. E apesar do grande progresso no conhecimento científico e da exploração dos mais remotos recantos do mundo pelo homem, nenhuma outra criatura com apenas uma destas características além das mencionadas foram descobertas.

 

O rato e a doninha também são impuros e estão listados no versículo 29.


 

➟  O que são animais ruminantes? 

 

Você já reparou que algumas espécies de animais ficam constantemente mastigando? Esse hábito é comum em animais ditos ruminantes. Mas você sabe o que isso significa?

 

Denominamos de ruminantes os animais que apresentam um sistema digestivo adaptado para a digestão de alimentos de origem vegetal. Esse sistema digestivo, diferentemente do nosso, possui um estômago com quatro câmaras bastante diferentes entre si. O processo de digestão também é bastante distinto, e o alimento passa mais de uma vez pela boca.

 

Para entender o processo de digestão desses animais, primeiramente devemos compreender a anatomia de seu sistema digestório. O estômago de um ruminante é formado pelas seguintes partes:

 

 

- Pança ou rúmen: Nessa região do estômago, o alimento de origem vegetal é amolecido e ocorre a digestão da celulose, um carboidrato presente nos vegetais. A celulose só é digerida graças a bactérias que produzem enzimas que quebram esse carboidrato. Vale destacar que nós, humanos, não somos capazes de digerir a celulose.

 

-  Barrete ou retículo: Nessa parte do estômago, são formadas pequenas porções de alimento que retornarão para a boca para a realização da mastigação.

 

- Folhoso ou omaso: Nessa porção do estômago, ocorre a absorção de água e minerais encontrados no alimento.

 

- Coagulador ou abomaso: Nessa região do estômago, ocorre a ação das enzimas digestivas, que quebram os nutrientes em partículas menores para que sejam absorvidos. Também é chamado de estômago verdadeiro.

 

O processo de digestão começa pela boca, assim como ocorre na maioria dos animais. O alimento é deglutido, segue em direção ao rúmen e, depois, para o retículo. Do retículo o alimento é enviado novamente para a boca, onde é realizada a mastigação. Após ser mastigado, o alimento é engolido novamente e é levado para o omaso e abomaso. Do estômago, os restos são enviados para o intestino e são posteriormente eliminados.

O sistema digestivo de ruminação é um sistema eficaz para eliminar toxinas e micro-organismos nocivos no alimento antes que sejam de fato metabolizados pelo animal; garantindo consequentemente uma qualidade segura de sua carne. 

 

Como exemplos de animais ruminantes, podemos citar os bois, búfalos, camelos, girafas, dromedários, lhamas, cervos, renas, entre outros.



 

➟  O que são animais de casco fendido?

 

Já esta característica não tem mistério; um casco fendido são patas cascudas com fenda.

 

Podemos também observar que, dos mamíferos puros, todos são herbívoros ou seja, se alimentam de vegetais. 

 

Sobre os animais terrestres mamíferos impuros, o mais consumido e utilizado como base para diversos alimentos processados como salsichas, linguiças, presuntos, apresuntados, bacon, hambúrgueres e outros é o porco. Além dele não possuir um sistema digestivo tão avançado como os animais puros, o porco ainda traz uma série de ameaças ao nosso organismo pois todas as toxinas e demais impurezas que ele consome e que são metabolizadas em seu organismo não são combatidas e eliminadas como os outros animais liberados por Deus. 

Este animal se alimenta inclusive de substâncias impuras e em decomposição e por razão disso podem transmitir bactérias, parasitas, teníase, neurocisticercose, triquinelose e diversos vírus. E devemos considerar que para os criadores poderem combater parte dessas ameaças, se faz necessário o uso de antibióticos e outras drogas pesadas e tóxicas como a ractopamina que consequentemente fica impregnada em sua carne e gordura.

 

Informações completas sobre animais ruminantes, de casco fendidos e sobre os puros para o nosso consumo estão disponíveis no GUIA DE ANIMAIS PUROS através do link disponível na descrição deste vídeo.



 

Répteis 

 

Sobre estes, vamos ler as instruções contidas nas escrituras:

 

Levítico 11:29-31

“Dos animais pequenos que rastejam pelo chão, estes são impuros para vocês: a doninha, o rato, todas as espécies de lagartos grandes, a lagartixa, o lagarto pintado, o lagarto comum, o lagarto da areia e o camaleão. Todos esses animais pequenos são impuros para vocês. Se alguém tocar no cadáver de um deles, ficará contaminado até o entardecer.

 

Todos os répteis são impuros, isto inclui cobra , sapo, rã e lagartos etc.


 

 

Insetos

 

Levítico 11:20-23

Não comerão insetos alados que rastejam pelo chão, pois são detestáveis para vocês. Contudo, poderão comer insetos alados que andam pelo chão e têm pernas articuladas para saltar. Os insetos que vocês poderão comer incluem todas as espécies de gafanhotos, gafanhotos migradores, grilos e gafanhotos devoradores. Todos os outros insetos alados que andam pelo chão são detestáveis para vocês.

 

Sobre os insetos terrestres (formiga é um exemplo), não vemos na lista nenhum que seja permitido o consumo. Todos são impuros.


 

 

Invertebrados

 

Da classe dos invertebrados terrestres, não vemos na listagem de animais liberados para o consumo. São eles os Nematelmintos (lombriga é um exemplo), Anelídeos (a minhoca é um exemplo), Moluscos (o caracol é um exemplo), Aracnídeos (o escorpião e a aranha são exemplos), Miriápodes (a lacraia é um exemplo) e os Crustáceos (o caranguejo é um exemplo).



 

❖ ANIMAIS AQUÁTICOS ❖

 

Já sobre os animais aquáticos, vamos ver o que Deus nos ordena:

 

Levítico 11:9-12

“De todos os animais que vivem nas águas, estes são os que vocês poderão consumir como alimento: qualquer animal aquático que tenha barbatanas e escamas, seja de água salgada ou de rios. Contudo, jamais comerão animais de mar ou de rio que não tenham barbatanas e escamas. São detestáveis para vocês. Isso se aplica tanto às criaturas pequenas que vivem em águas rasas como a todas as criaturas que vivem em águas profundas. Serão sempre detestáveis para vocês. Não comerão a carne delas nem tocarão em seu cadáver. Qualquer animal aquático que não tem barbatanas e escamas é detestável para vocês.



 

Vertebrados

 

Dos aquáticos, Deus concede que nos alimentemos daqueles que possuem barbatanas e escamas. Eles devem necessariamente possuir ambas características juntas.



➟ O que são barbatanas? 


 

Barbatanas ou nadadeiras são os órgãos externos que muitos animais aquáticos usam para a locomoção e equilíbrio.

 

 

 

Os peixes apresentam dois tipos de barbatanas:


 

Pares

 

Peitorais (com a base atrás das aberturas branquiais); e

Pélvicas ou ventrais (localizadas imediatamente à frente do ânus).


 

Ímpares

 

*Dorsais (podem ser até três, situadas no dorso);

 

*Caudal (por vezes lobada, na extremidade posterior do corpo);

 

*Anal (na região ventral, atrás do ânus).

 

As barbatanas dorsais e anais dos peixes são excrescências da pele e nos teleósteos são suportadas por lepidotríquias (vulgarmente chamadas "raios"), que são escamas modificadas, ou por espinhos. Nos peixes cartilaginosos (Chondrichthyes), elas são suportadas por filamentos desse material. No entanto, as peitorais e ventrais são suportadas por ossos, normalmente associados, respectivamente, à cintura escapular e à cintura pélvica dos tetrápodes.

 

Alguns peixes, como os bagres possuem ainda barbatanas adiposas, de tecido carnudo.

 

Nos mamíferos aquáticos, como as baleias e focas, as barbatanas são transformações das extremidades dos membros (mãos e pés).



 

➟ O que são escamas?

 

Como podemos também ver, os peixes de couro são terminantemente proibidos para nosso consumo.

 

Escamas são estruturas em forma de placa achatada, como uma armadura protetora. Estão presentes em peixes, répteis e aves. Esta “armadura” protege o peixe de se contaminar com os microorganismos existentes no habitat aquático. Proteção inexistente em um peixe de couro.


 

 


Invertebrados

 

Toda a classe de animais invertebrados marinhos são proibidos para o consumo humano.

Muitos conhecidos como “frutos do mar”, são animais que desempenham um papel de “lixeiros” dos mares pois se alimentam basicamente de microorganismos onde em sua maioria são extremamente nocivos aos seres humanos e seu sistema digestivo não possui mecanismos para os eliminar sem contaminar sua carne. Se tornando um alimento alergênico e transmissor de doenças infecciosas.

 

Informações mais detalhadas sobre as espécies de animais aquáticos próprias para o consumo estão disponíveis no GUIA DE ANIMAIS PUROS através do link disponível na descrição deste vídeo.

 

 

 

 

❖ ANIMAIS QUE VOAM ❖


 

Aves

 

As Escrituras , são bem específicas quando lidam com a lista de peixes e mamíferos.

Peixes devem ter escamas e barbatanas, fácil de identificar. 

 

Mamíferos devem ter cascos fendidos e ruminar. Também é fácil de identificar.

 

Porém... quando o assunto são aves, vamos ver o que nos diz a Bíblia:


 

Levítico 11:13-19

“Estes são os animais voadores que vocês considerarão detestáveis e não comerão: o abutre-fouveiro, o abutre-barbudo, o abutre-fusco, o milhafre e todas as espécies de falcão, todas as espécies de corvos, a coruja-de-chifres, a coruja-do-campo, a gaivota, todas as espécies de gaviões, o mocho-galego, o cormorão, o corujão, a coruja-das-torres, a coruja-do-deserto, o abutre-do-egito, a cegonha, todas as espécies de garças, a poupa e o morcego.

 

Então aqui Deus só cita alguns nomes de pássaros proibidos para o consumo; e o significado do nome de alguns deles se perdeu com o tempo; ou seja, é impossível hoje em dia identificar com precisão alguns destes pássaros; e nem sabemos se estes nomes desconhecidos se referem a toda uma espécie ou só membros de certa espécie. Além disso, as Escrituras também não descrevem uma lista de requisitos para que um pássaro seja considerado puro ao mesmo tempo que há milhares de espécies de pássaros no mundo. Então como definir a pureza de uma ave?

 

Há detalhes consideradas em aves impuras designadas na Bíblia que ao analisar com profundidade, nos guiam para que possamos selecionar com o máximo de cautela possível, as aves que podemos utilizar como alimentos:


 

1. O pássaro não pode ser um 'predador' .

 

Que apreende sua comida com suas garras e a levanta do chão para a boca, que segura a presa com suas garras , que atinge sua presa com os pés e a come enquanto ela ainda está viva, que arrasta sua presa com suas garras, ou que injeta uma espécie de veneno em sua presa.


As escrituras sinalizam um método de identificação de um pássaro que é um 'predador': ele "divide os dedos dos pés em duas partes", isto é, quando está sobre uma corda, ele coloca dois dedos na frente e dois na parte de trás, como um papagaio; então, papagaio por exemplo, não é puro, embora seja um pássaro pacífico, ele é considerado impuro.

 

2. O pássaro tem que ter um "dedo extra" na parte de trás do pé, como o encontrado no pé da galinha.

 

3. No sistema digestivo, o pássaro tem que ter uma bolsa expandida (PAPO) e muscular perto da garganta. É uma parte do trato digestivo, essencialmente uma parte ampliada do esôfago, usada para armazenar temporariamente alimentos.

 

 

Lista RESUMIDA de pássaros impuros:

Corujas, pelicanos, águias, avestruz, abutres, pinguim, falcões, gaivota, urubu, abutre, cisne, pica-pau, flamingo, pavão etc. 


 

Informações completas sobre aves puras para o nosso consumo estão disponíveis no GUIA DE ANIMAIS PUROS através do link disponível no fim deste estudo.



 

Insetos

 

(Levítico 11:20-23) já lido em "insetos terrestres"

 

Entre os insetos, todos os que são alados e andam sobre quatro pés, são considerados impuros. No entanto, todos os insetos alados e com quatro pés, que possuem pernas sobre seus pés, para saltar sobre a terra, podem ser comidos (como os gafanhotos, por exemplo).

 

Insetos alados são aqueles que possuem asas.


 

 

 

ESTUDO SOBRE O CONTEXTO BÍBLICO 


Vamos para a segunda etapa do nosso estudo analisando então o contexto bíblico ao que tange às passagens que são usadas para tentar refutar a validade da lei dietética e passagens que esclarecem sobre ela.



 

SEMPRE EXISTIRAM ANIMAIS PUROS E IMPUROS

 

Para quem acha que a distinção entre animais puros e impuros foi dada aos hebreus e somente após a saída do Egito, eis a prova de que tal distinção já era desde a época de Noé e sua família, e que está claro que é para o ser humano em geral e não para um grupo distinto ou seja, apenas para os israelitas.

 

Gênesis 7:2

"De todos os animais limpos levarás contigo sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea;"

 


 

O QUE DEUS ADVERTE NAS PROFECIAS APOCALÍPTICAS SOBRE QUEM COME DAQUILO QUE É IMUNDO

 

Muitos que desconhecem as escrituras de forma geral, pensam que as profecias apocalípticas apenas são encontradas no livro de Apocalipse no novo testamento. E não sabem de que no antigo testamento, também há profecias para o fim dos tempos que ainda estão para se cumprir; e como uma profecia se trata da palavra, da promessa de Deus sobre aquilo que ainda está por vir, devemos saber de que tais são totalmente válidas independente de onde se encontram na bíblia e que devemos ficar atentas à elas.

 

Encontramos então nas sagradas escrituras, nos textos apocalípticos do livro de Isaías nos capítulos 65 e 66, duas passagens sobre o que Deus adverte para àqueles que comem da carne de porco e outras coisas abomináveis e quais serão suas consequências nos tempos que estão por vir.




DEUS CHAMA A CARNE DE PORCO DE ABOMINÁVEL

 

Em Isaías 65, já dentro do contexto sobre a nova terra e a salvação dos fiéis, podemos ver a intolerância de Deus contra aos que comem “coisas abomináveis”.


Isaías 65:3-4

"O dia todo me insultam abertamente, ao adorarem ídolos em seus jardins e queimarem incenso em seus altares. À noite, andam no meio das sepulturas e consultam os mortos. Comem carne de porco e fazem ensopados com outros alimentos imundos."

 

Não podemos desconhecer de que o capítulo 65 do livro de Isaías trata-se de uma profecia da NOVA TERRA aos salvos. Leia-o na íntegra.



 

DEUS COMPARA A IMUNDÍCIE DA CARNE DO PORCO COM A DO RATO

 

Já no capítulo 66; ainda no contexto sobre o fim dos tempos, da nova Jerusalém, salvação dos justos e condenação dos ímpios; Deus continua expondo a sua repugna à quem come daquilo que Ele chama de imundície e ainda compara a carne de porco com a do rato. 

 

Isaías 66:17  - (NVT)   

“Os que se consagram e se purificam nos jardins sagrados com um ídolo no centro, que comem a carne de porco e a do rato e outras carnes detestáveis, terão um fim terrível, diz o Senhor.”

 

Então não nos resta nenhuma dúvida de que aqueles que se contaminam com imundícies como a carne de porco e outras proibidas, não herdarão a salvação pois se tornam repugnáveis diante do Criador. Pois como podemos observar nestes textos já lidos, tal ato é tão pecaminoso e condenável quanto a idolatria.


 

 

NOSSO CORPO É TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO

 

Baseando-se neste conhecido texto abaixo, tal deverá servir de mais um incentivo (como se fosse necessário), para nos abstermos de consumir o que nos tornará imundo perante Deus. 

 

1 Coríntios 6:19

"Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos?"

 

Qualquer médio entendedor das escrituras sabe muito bem que, na época em que a morada de Deus ou seja, o templo de Israel era estabelecido de forma física neste mundo, os animais impuros não eram aceitáveis. Eram também abomináveis para qualquer tipo de sacrifício ou ofertas pois suas presenças tornavam o local impuro (Levítico 27:11). 

 

Sendo nós agora o templo de Deus, não devemos tomar cuidado para não  nos tornarmos também impuros com essas carnes?



 

DEUS EXORTA AO SEU POVO A NÃO SE CONTAMINAREM COM ANIMAIS IMPUROS PARA QUE PERMANEÇAM ASSIM, EM SANTIDADE  

 

Veremos abaixo um texto onde o Criador adverte ao Seu povo em não se contaminarem com os animais designados como impuros para o consumo pois devemos ser santos assim como Ele é santo!

 

Levítico 20:25-26

"Portanto, façam distinção entre animais puros e impuros e entre aves puras e impuras. Não se contaminem com nenhum animal, ave ou criatura que anda pelo chão; eu determinei o que é impuro para vocês. Sejam santos, pois eu, o Senhor, sou santo. Separarei-os de todos os outros povos para serem meus.”


 

Deuteronômio 14:2-3

“Vocês são um povo consagrado ao Senhor, seu Deus, e ele os escolheu dentre todas as nações da Terra para serem sua propriedade especial. Não comam animais detestáveis, que sejam impuros.”

 

Podemos perceber de que o consumo daquilo que Deus determinou como impuro para aquele que quer fazer parte de seu povo; vai muito além de questões de saúde e sim, afeta diretamente nossa santidade, consagração e nosso relacionamento com o Criador!


Pelos claríssimos textos bíblicos já apresentados neste estudo, nem seria preciso na verdade dar continuidade ao tema. Mas para que não haja dúvidas em relação ao assunto, estarei apresentando algumas respostas em relação a algumas indagações são feitas baseadas em versos lidos isolados do contexto bíblico.




JESUS DISSE QUE COMIDA NÃO CONTAMINA O HOMEM?

 

Mateus 15:11 / Marcos 7:15

 

"O que entra pela boca não torna o homem ‘impuro’; mas o que sai de sua boca, isto o torna ‘impuro’".

 

Ao lermos tais versos isoladamente realmente podemos entender de que Jesus pretendeu nos ensinar de podemos comer de qualquer coisa. Mas basta lermos o restante do capítulo que aí sim, chegaremos a sua intenção ao dizer tais palavras.

 

“Pois do coração vêm maus pensamentos, homicídio, adultério, imoralidade sexual, roubo, mentiras e calúnias. São essas coisas que os contaminam. Comer sem lavar as mãos não os contaminará.” - Mateus 15:19,20

 

Lendo o capítulo todo nos 2 livros vemos que Jesus refuta os Escribas e Fariseus que os repreendeu publicamente por não terem praticado o ritual judaico de purificação das mãos antes de fazerem suas refeições.

 

Absolutamente em momento algum Cristo estava fazendo referência áquilo que Deus proibiu para consumo caso contrário, poderíamos então comer sangue.



 

A ASSEMBLÉIA DE JERUSALÉM ANULA A LEI DIETÉTICA?  

 

Muitos crentes acreditam que as únicas proibições alimentares que existem na Bíblia são as que encontramos no livro de Atos, capítulo 15 no concílio de Jerusalém onde diz:

 

“Que vos abstenhais de alimentos sacrificados aos ídolos, do sangue, da carne de animais estrangulados… ” - Atos 15:29

 

Já está em meu canal um estudo mais completo e abrangente sobre esta passagem de Atos 15 não anular a lei de Deus. Recomendo que também o assista!

 

Neste versículo, no que tange á alimentação, o concílio chega a decisão de que devemos nos abster de:

 

1. Alimentos sacrificados aos ídolos.

2. Comer sangue.

3. Carne sufocada (animais que não foram mortos por sangramento).

 

Mas será que tais mandamentos são novos? Foram gerados pelo Espírito Santo unicamente para a nova aliança e as "antigas" leis dietéticas ficaram para trás?


 

Veremos abaixo, uma síntese sobre cada ponto:



 

1. ALIMENTOS SACRIFICADOS AOS ÍDOLOS

 

No que tange ao consumo de carne de animais oferecidos à rituais pagãos, vamos analisar alguns textos também do antigo testamento:

 

➢ “Com seus deuses estranhos provocaram ciúmes em Deus, com seus ídolos abomináveis o deixaram irado. Sacrifícios ofereceram aos demônios, não a Deus; a seres que não têm o poder de Deus, a deuses desconhecidos, divindades que surgiram recentemente, às quais jamais vossos antepassados prestaram adoração.” - Deuteronômio 32:16-17 

 

➢ “Durante o tempo em que os israelitas se estabeleciam no vale de Shitim, os homens de Israel começaram a se envolver em relações sexualmente imorais com as mulheres moabitas, que os influenciavam a participar de holocaustos e festas em oferecimento aos seus deuses. O povo comia e se prostrava diante dos seus ídolos. E, desta maneira, Israel se juntou à adoração a Baal. E o furor de Deus ascendeu-se contra Israel.” - Números 25:1-3 

 

Existem dezenas de textos que revelam o furor de Deus á rituais idólatras. Mas apenas estes dois já nos servem de exemplo de que não somente o culto, mas também o consumo de alimentos envolvidos em tais paganismos também eram abomináveis ao Senhor desde os tempos que antecediam a Cristo.  Então como podemos ver, a proibição de comer algo referido á idolatria é um mandamento desde o velho pacto.


 

2. COMER SANGUE

3. CARNE SUFOCADA

 

Em Levítico 7:26-27 temos a repetição em relação ao sangue:

 

➢ “Onde quer que habiteis, não comereis sangue, quer se trate de ave ou de gado. Todo aquele que comer qualquer sangue será expulso do meio do seu povo.” - Levítico 7:26-27 

 

Em Levítico 17:13-14 também explica com detalhes: 

 

➢ "Qualquer israelita ou estrangeiro residente que caçar um animal ou ave que se pode comer, derramará o sangue e o cobrirá com terra, porque a vida de toda carne é o seu sangue. Por isso eu disse aos israelitas: vocês não poderão comer o sangue de nenhum animal, porque a vida de toda carne é o seu sangue; todo aquele que o comer será eliminado." - Levítico 17:13-14

 

Pois bem, se observarmos as escrituras, a proibição de não comermos a carne sufocada e com o sangue já fora dado em Gênesis 9: 2-5 e lá mesmo obtemos a explicação:

 

➢ “Sede o medo e o pavor de todos os animais da terra e de todas as aves do céu, como de tudo o que se move na terra e de todos os peixes do mar: eles são entregues em vossas mãos. Tudo o que se move e possui a vida vos servirá de alimento, tudo isso Eu vos dou, como vos dei a verdura das plantas. Mas não comereis a carne com sua alma, isto é, o sangue.” - Gênesis 9:2-5

 

Se estas leis dietéticas da Escritura foram repetidas no novo testamento, por qual motivo as demais, de Levítico 11 não foram? 



 

Vejamos novamente os pontos: 

 

Abster de alimentos sacrificados  

Abster de comer/beber sangue  

Abster de carnes de animais não sangrados  

Abster de imoralidades sexuais  

 

Um conhecedor básico das sagradas escrituras logo percebe de que as quatro proibições foram mencionadas novamente em Jerusalém pois no momento eram estes os pontos que estavam sendo problemáticos dentre os cristãos. 

 

E as dezenas de outros mandamentos de cunho moral fora a imoralidade sexual; como “não matar”, “não roubar”, “honrar pai e mãe”, “não consultar os mortos”, e etc, etc e etc. Será que tais e outros não listados nesta passagem não são então válidos para aqueles gentios? É uma conclusão totalmente ilógica não acham?

 

Na mesma linha de raciocínio, devemos empregar sobre o restante da lei dietética. Pois aqueles gentios estavam saindo de uma vida cultural com muitas adversidades á lei de Deus e os apóstolos estavam preocupados em não sobrecarrega-los de imediato para que uma mudança de vida brusca não os repelissem do caminho da doutrina de Deus. 



 

DEUS DIZ A PEDRO QUE TODOS OS ANIMAIS ESTÃO PURIFICADOS?

 

Em relação ao consumo de animais proibidos desde Levítico 11, como por exemplo a carne de porco, era totalmente impensável serem encontradas na mesa de um israelita mesmo após a consumação da Nova Aliança (morte e ressurreição de Cristo). 

 

Um grande exemplo vemos no livro de Atos capítulo 10 onde um centurião da corte chamado Cornélio atentou o coração de Deus por ser um homem de boas obras; e um anjo o ordenou a procurar pelo apóstolo Pedro. 

 

Como os hebreus não se misturavam com os gentios (não-hebreus), tal encontro de Pedro com Cornélio poderia naturalmente ser algo não muito produtivo perante tal cultura. Então na hora de preparar sua refeição, Pedro teve uma visão dada por Deus: 

 

➢ “E tendo fome, quis comer; mas enquanto lhe preparavam a comida, sobreveio-lhe um êxtase, e via o céu aberto e um objeto descendo, como se fosse um grande lençol, sendo baixado pelas quatro pontas sobre a terra, no qual havia de todos os quadrúpedes e répteis da terra e aves do céu. E uma voz lhe disse: Levanta-te, Pedro, mata e come. Mas Pedro respondeu: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda. Pela segunda vez lhe falou a voz: Não chames tu comum ao que Deus purificou.” Atos 10:10-15


 

Antes de tudo, podemos notar de que mesmo anos após a ressurreição de Cristo (já na nova aliança), Pedro continuava a guardar a ordenança contra o consumo daquilo que Deus designou como imundo. Não somente Pedro mas logicamente todos os convertidos a Deus.

 

A partir então destes versículos lidos, muitos cristãos, sem ler o capítulo inteiro, pressupõe então de que Deus liberou o consumo de animais impuros. Mas vejamos o que está a seguir pulando para os versos 25, 27 e 28: 


 

➢ “Quando Pedro ia entrar, veio-lhe Cornélio ao encontro e, prostrando-se a seus pés, o adorou. E conversando com ele, entrou e achou muitos reunidos, e disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um hebreu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem devo chamar comum ou imundo;” - Atos 10:25,27-28


 

Então, claramente a tal visão não estava relacionada a alimentos e sim aos gentios serem aceitos pelos hebreus. Este é um grande exemplo de que as leis dietéticas continuaram a ser obedecidas pelos apóstolos. 

 

Escuto repetidas vezes de que estas leis eram destinadas somente aos hebreus, porém no decorrer deste estudo veremos que as leis dietéticas visam uma qualidade de vida melhor e por consequência, uma longevidade ao povo de Deus. 



 

PAULO CONTRADISSE A LEI DIETÉTICA?

 

PAULO DISSE QUE PODEMOS COMER DE TODAS AS CARNES QUE HÁ NO MERCADO E DE TUDO O QUE É SERVIDO

 

Será então que o apóstolo disse que podemos comer qualquer carne vendida nos mercados e de qualquer que nos é servida? Vamos analisar os textos bíblicos:


 

1 Coríntios 10:23-27

 

"Tudo é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo é permitido", mas nem tudo edifica. Ninguém deve buscar o seu próprio bem, mas sim o dos outros. Comam de tudo o que se vende no mercado, sem fazer perguntas por causa da consciência, pois "do Senhor é a terra e tudo o que nela existe". Se algum descrente o convidar para uma refeição e você quiser ir, coma de tudo o que lhe for apresentado, sem nada perguntar por causa da consciência. 

 

Lendo então estes versos, somos levados ao entendimento de que Paulo anulou as proibições da lei dietética dada pelo Criador. Mas prosseguindo a leitura dos versos subsequentes, conseguimos compreender a real mensagem do escritor:

 

1 Coríntios 10:28-33

 

Mas se alguém lhe disser: "Isto foi oferecido em sacrifício", não coma, tanto por causa da pessoa que o comentou, como da consciência, isto é, da consciência do outro e não da sua própria. Pois, por que minha liberdade deve ser julgada pela consciência dos outros? Se participo da refeição com ação de graças, por que sou condenado por algo pelo qual dou graças a Deus? Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. Não se tornem motivo de tropeço, nem para hebreus, nem para gregos, nem para a igreja de Deus. Também eu procuro agradar a todos de todas as formas. Porque não estou procurando o meu próprio bem, mas o bem de muitos, para que sejam salvos.”


 

Agora então conseguimos enxergar de que nestes textos Paulo exorta de que a proibição trata-se de participar de banquetes consagrados á ídolos e consumir tais alimentos conscientemente. Inclusive em 1 Corintios 5:11 Paulo chega a nos aconselhar a sequer sentemos a mesa com tais pessoas pecaminosas.

 

Tal temor estava causando um grande alarde no meio dos cristãos recém convertidos. Então Paulo escreveu uma carta aos crentes da cidade de Corinto sobre este assunto. Vamos ler:


 

“Então, o que dizer quanto ao alimento oferecido a ídolos? Bem, todos nós sabemos que, na verdade, o ídolo nada vale neste mundo, e que há somente um Deus. Sim, é fato que existem os que são chamados de deuses, por assim dizer, nos céus e na terra, e há pessoas que adoram muitos deuses e muitos senhores. Para nós, porém, Há somente um Deus, o Pai, por meio de quem todas as coisas foram criadas e para quem vivemos. E há somente um Senhor, Jesus Cristo, por meio de quem todas as coisas foram criadas e por meio de quem recebemos vida. No entanto, nem todos sabem disso. Alguns estão acostumados a pensar que os ídolos são de verdade, de modo que, ao comer alimentos oferecidos a eles, imaginam que estão adorando deuses de verdade, e sua consciência fraca é contaminada. Não obtemos a aprovação de Deus por comermos. Não perdemos nada se não comemos, e se comemos, nada ganhamos. Contudo, tenham cuidado para que sua liberdade não leve outros de consciência mais fraca a tropeçarem. Pois, se alguém vir você, que diz ter um conhecimento superior, comer no templo de um ídolo, acaso não será induzido a contaminar a própria consciência ao ingerir alimentos oferecidos a ídolos? Assim, por causa do seu conhecimento superior, um irmão fraco pelo qual Cristo morreu acaba se perdendo. E quando vocês pecam contra outros irmãos, incentivando-os a fazer algo que eles consideram errado, pecam contra Cristo. Portanto, se aquilo que eu como faz um irmão pecar, nunca mais comerei carne, pois não quero fazer meu irmão tropeçar.” - 1 Coríntios 8:4-13


 

Nos ficou claríssimo agora, a mensagem de Paulo sobre seu entendimento perante a preocupação em se ter comido algo que foi consagrado á algum ídolo. Vemos também que em nada se trata daquilo que é imundo perante Deus para o nosso consumo.



 

PAULO ESCREVE Á TIMÓTEO SOBRE DOUTRINA DE DEMÔNIOS QUE PROIBIRIAM O CONSUMO DE COISAS QUE DEUS CRIOU E QUE TUDO PODE SER SANTIFICADO PELA PALAVRA DE DEUS E PELA ORAÇÃO

 

Bom, mais uma vez a leitura isolada de todo um contexto bíblico e uma interpretação de texto carente de conhecimento da doutrina leva um cristão ao errôneo entendimento sobre a intenção de Paulo ao mencionar tais advertências à Timóteo.

 

Vamos examinar então o texto bíblico á luz da doutrina santa para buscarmos o que o apóstolo quis dizer através de tal epístola:


 

1 Timóteo 4:1-5

 

"O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada e proíbem o casamento e o consumo de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ação de graças pelos que crêem e conhecem a verdade. Pois tudo o que Deus criou é bom, e nada deve ser rejeitado, se for recebido com ação de graças, pois é santificado pela palavra de Deus e pela oração."

 

Trata-se aqui de seitas que proibirão o casamento e o consumo de alimentos que eram recebidos em Ação de Graças; claramente então dando valor a fornicação. 

 

E todos sabemos que animais imundos não eram utilizados e recebidos em Ações de Graças e nem tão pouco orar pelo alimento nos libertaria de tais proibições; caso fosse, em Atos 15 não seria necessários dar aquelas advertências alimentares primárias aos gentios recém convertidos. E também os israelitas bastariam orar ao comer porco que tudo ficaria bem. Mas não é tão simples assim burlar tal lei de Deus considerando tudo o que já lemos nesse estudo inclusive contido nas profecias sobre o fim dos tempos de Isaías sobre os que se contaminam com tais animais.

 

 


 

PAULO LIBERA O CONSUMO DE QUALQUER CARNE EM ROMANOS 14


Para início, vamos ler a passagem que causa esta interpretação:

 

Romanos 14:2-6 [ARC]

“Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. O que come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu. Quem és tu que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai; mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar. Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em seu próprio ânimo. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz. O que come para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come para o Senhor não come e dá graças a Deus.”

 

Por mais uma vez nos deparamos com uma interpretação defeituosa mediante uma leitura carente de seu contexto na qual está inserida.


 

Vamos analisar

 

Paulo primeiramente não estava se referindo ás carnes proibidas por Deus pois teria assim que estar se voltando no verso 2, aos que seguiam a lei dietética como “fraco” que come só legumes. Porém nunca foi de costume dos israelitas comerem somente legumes. A situação encontrada ali era outra.

 

Vamos para o verso 10 em diante para que possamos entender melhor o motivo desta carta de Paulo.

 

Romanos 14:10-12

“Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. Porque está escrito: Pela minha vida, diz o Senhor, todo joelho se dobrará diante de mim, e toda língua confessará a Deus. De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”


 

Está bem claro de que em nenhum momento Paulo estava pregando doutrina naquele momento e sim, aconselhando em não contendermos em conflitos que notoriamente estava ocorrendo com aqueles crentes.

Naquela época em Roma, havia o mercado central chamado de Ágora onde a maioria das carnes lá vendidas eram procedentes de templos pagãos; onde eram realizados sacrifícios aos deuses romanos e as carnes destes animais eram vendidas aos comerciantes. 

 

A preocupação que notamos nesta epístola aos crentes de Roma foi de apaziguar uma dissensão em relação ás carnes vendidas neste centro comercial da época. Pois aqueles que eram considerados pelo apóstolo como “firmes na fé” e seguiam sua linha de pensamento sobre alimentos consagrados aos ídolos exposta em  1 Cor 8:4-13, (na qual já foi citada aqui), na qual não se deve ter receio em simplesmente comer tais carnes. 

Já aqueles considerados como “fracos na fé” tinham medo e se alimentavam apenas de vegetais.

 

Então notoriamente estava havendo uma divisão ali. Havia o grupo de cristãos que compravam aquelas carnes e comiam sem medo pois sabiam que aqueles deuses na quais tais foram sacrificadas, não existiam; e havia outro grupo de cristãos que por medo de estarem pecando, se abstiam delas. E certamente um grupo acusava o outro; causando então tal divisão na igreja; como também julgamentos e contendas entre os irmãos.

 

Então Paulo faz a advertência: “Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. Porque está escrito: Pela minha vida, diz o Senhor, todo joelho se dobrará diante de mim, e toda língua confessará a Deus. De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”

 

Paulo aqui admoesta de que devemos parar de julgar os irmãos por algo em que não estão de acordo com a doutrina.

Seja por usar uma saia não tão longa, ou ter cortado o cabelo… o que seja. Não devemos expurgar ninguém por alguma fraqueza na fé e sim orarmos por estes e mostrarmos o caminho com paciência e amor pois em relação a desobediência, como ele mesmo disse: “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”


 

Continuando o capítulo, vamos continuar lendo outros versículos que carecem de análise: 


 

Romanos 14:13-23 KJA

 

“Portanto, abandonemos o costume de julgar uns aos outros. Em vez disso, apliquemos nosso coração em não colocarmos qualquer pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão. Como uma pessoa que está no Senhor Jesus, tenho plena convicção de que nenhum alimento é por si mesmo ritualmente impuro, a não ser para aquele que assim o considera; para esse é impuro. Se o teu irmão se entristece por causa do que tu comes, já não estás agindo por amor fraterno. Não destruas teu irmão por conta da tua comida, pois Cristo morreu também por ele. Aquilo que é bom para vós não se torne motivo de maledicência. Porquanto o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo; Pois quem serve a Cristo desta forma é agradável a Deus e estimado por todas as pessoas. Por isso, esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e ao aperfeiçoamento mútuo. Não destruas a obra de Deus por causa de comida. Na verdade, todo alimento é puro, mas se torna um mal se alguém vir nisso um motivo de escândalo. É melhor não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve teu irmão a tropeçar. Assim, seja qual for tua doutrina a respeito destes assuntos, guarda-a com convicção entre ti mesmo e Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena naquilo que aprova. Todavia, aquele que tem dúvida é condenado se comer, pois não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado!”


 

Sobre o verso 14, nos deparamos com uma afirmação que colocaria esta minha exegese abaixo. Pois vemos escrito: “nenhum alimento é por si mesmo ritualmente impuro”.

 

Então de acordo com o que está escrito, nenhum alimento é mais imundo e isso se aplicaria também às carnes de animais proibidos. Mas vamos ver como está no manuscrito antigo no grego:


 

 

 

οἶδα καὶ πέπεισμαι ἐν κυρίῳ Ἰησοῦ ὅτι οὐδὲν κοινὸν δι' ἑαυτοῦ εἰ μὴ τῷ λογιζομένῳ τι κοινὸν εἶναι ἐκείνῳ κοινόν


 

  • οἶδα: sei

  • καὶ: e

  • πέπεισμαι: estou persuadido, estou confiante, estou convicto

  • ἐν: em, por, com, no, na

  • Κυρίῳ: Senhor

  • Ἰησοῦ: Jesus

  • ὅτι: que/porque

  • οὐδὲν: ninguém, nada

  • κοινὸν (G2839): comum/igual

  • δι': do,de, consequentemente, por causa, em razão disso, em para

  • ἑαυτοῦ: em si, ele mesmo, a si mesmo

  • εἰ: se, e se

  • μὴ: não

  • τῷ: este, estes, aquele

  • λογιζομένῳ: recontar, contar, calcular, conferir, levar em conta, considerar, supor, julgar, determinar, (afirmar por fatos e ñ suposição)

  • τι: alguém, algo, algum, algo

  • κοινὸν (G2839): comum/igual

  • εἶναι: ser, existir, acontecer, estar

  • ἐκείνῳ: ele, ela, isto, isso

  • κοινὸν (G2839): comum/igual

 

 

A palavra grega destacada κοινὸν (koinos)  [G2839], foi deliberadamente traduzida como impura, mas na verdade significa comum/igual. A palavra que indicaria o estado de impureza de algo é o adjetivo ἀκάθαρτος (akathartos) [G169]; presente com o seu real significado nas passagens de Mt 12:43, Mc 1:23, Mc 1:26, Lc 4:33, Ap 18:2 e diversas outras passagens.

Já o adjetivo grego κοινὸν (koinos), aparece com seu significado “comum/igual” nas passagens de At 2:44, At 4:32, Tt 1:4, Jd 1:3 e diversas outras.

Então analisando a passagem referida em seu idioma original veremos como ela fica em uma tradução :

“Sei e estou convicto no senhor Jesus que nada por si mesmo é igual exceto por aquele que considera-o igual; tornando assim, tal coisa igual.”

 

Vemos aqui neste verso corretamente traduzido através deste exegese de que o apóstolo em momento nenhum está falando que nenhum alimento é impuro; somente é para quem considera. Ele está afirmando de que uma coisa não é igual a outra a não ser que assim seja considerada em sua consciência.

E do que Paulo estava se tratando de ser considerado diferente ou igual dependendo da consciência de cada um? 

Paulo estava neste bloco contextual afirmando que; para uns, há um dia especial de Deus (sábados semanais e anuais); para outros, todos os dias são iguais. Uns também fazem diferença de comida pura para impura e outros consideram tudo a mesma coisa e não fazem tal distinção. Mas que cada um dará conta de seus atos diante do tribunal de Deus!

O que será que Paulo quis alertar com isso? Que existem duas doutrinas e que tanto faz seguir uma ou outra? Está bem claro de que não!

Ele ainda explana no verso 14 de que sabe que tais coisas não são iguais ou seja, há distinção das coisas perante a doutrina; mas há irmãos que não fazem e considera tudo igual.

 

Vamos também analisar o verso 20 que diz:

“Não destruas por causa da comida a obra de Deus. É verdade que todo alimento é puro, mas se torna um mal se alguém vir nisso um motivo de escândalo.”

 

Então de acordo com o escrito, todo o tipo de alimento é limpo, mas vamos ver como está no manuscrito:

 

 

 

μὴ ἕνεκεν βρώματος κατάλυε τὸ ἔργον τοῦ θεοῦ πάντα μὲν καθαρά ἀλλὰ κακὸν τῷ ἀνθρώπῳ τῷ διὰ προσκόμματος ἐσθίοντι

 

O adjetivo nominativo grifado; καθαρά (kathara) - G2513, significa de fato algo limpo, porém é um sinônimo das designações gregas com referências gramaticais enciclopédicas papirológicas G5840 e G5896 que denotam liberdade de corrupção do mundo, livre de "mistura estranha", "mancha", afastado de todo tipo de contaminação externa.

Assim como ele utilizou-a nas passagens de Apocalipse 15:6 indicando “linho puro”; e Apocalipse 21:21 indicando “ouro puro”; ou seja, substâncias que não tiveram seu estado natural adulterado por algo exterior.

Então o apóstolo utilizou o adjetivo καθαρά (kathara) - G2513,  fazendo referência que todo alimento (carne nessa situação), é livre de qualquer contaminação espiritual dos templos pagãos.

Para se fazer referência á algo puro por si próprio, Paulo deveria então ter usado o adjetivo ἁγνά (hagna) - G53. Adjetivo empregado nas passagens de 1 Timóteo 5:22, Tiago 3:17 que faz referência a algo puro por natureza.

Então está elucidado de que aqui em momento nenhum Paulo está pregando contra o consumo daquilo que Deus proibiu e sim, se referindo ao embate entre os irmãos da igreja de Roma dentre os que comiam e os que não comiam carnes sacrificadas aos ídolos.




 

______________________________

 

Jesus morreu na cruz para que através de nossa fé Nele, sejamos capacitados pelo Espírito Santo á cumprir as leis de Deus (Jeremias 31:31-34 e Hebreus 8:10-12), e não para purificar porcos ou outros animais imundos.

20200724_145450.png
20200724_145040.png
20200724_144508.png

Estudos &

Análises

Sobre a CCB

Informações

& Curiosidades

ESTA NÃO É A PÁGINA OFICIAL DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

Os estudos, análises e opiniões presentes nesta página e no canal não são provenientes do ministério da CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL e sim, feitos por mim de forma independente.

C.C.B. ESTUDOS - Centro de Capacitação Bíblica