O antigo testamento foi abolido?

Quase que diariamente ouço de muitos irmãos que o “antigo testamento” foi abolido (doutrinariamente falando), e sendo assim, devemos seguir unicamente os ensinamentos do “novo testamento”.

 

Então neste estudo vamos tratar profundamente deste assunto e verificarmos se realmente se há bases bíblicas para entendermos de que toda a doutrina destes 39 livros que compõe o que conhecemos como “antigo testamento” ou “velho testamento” foi de fato neutralizada ou substituída pela doutrina do que conhecemos hoje como “novo testamento”.

 

Primeiramente vamos fazer um breve resumo de como é estruturada a nossa bíblia sagrada de hoje:

 

O antigo testamento apresenta a história desde a criação do mundo e de toda a  vida, da eleição e surgimento de um povo escolhido por Deus e de Sua aliança com a entrega dos santos mandamentos até o fim do exílio babilônico por este povo. 

 

Já o novo testamento apresenta a nova aliança de Deus não somente com Israel mais também enxertando o povo gentio à eles  e a substituição dos rituais terrenos de tabernáculo para perdão dos pecados, sacerdócio para intercessão com Deus e demais ordenanças religiosas para a pessoa de Cristo.

 

A bíblia não era dividida em capítulos até o ano de 1.227 d.C. quando o professor Stephen Langton (Arcebispo da Cantuária), realizou tal trabalho.

  

E em 1.551 d.C. foi dividida em versículos por Robert Estienne.

Assim então, a Vulgata Romana dividiu a bíblia em capítulos, versículos e entre "antigo e novo testamento".

 

A bíblia foi escrita por 40 autores entre 1.445 a.C. e 450 a.C. (livros do antigo testamento) e 45 a 90 d.C. (livros do novo testamento), totalizando um período de quase 1.600 anos.

 

A bíblia é dividida em duas grandes partes:

  • Antigo testamento: 39 livros

  • Novo testamento: 27 livros

 

 

Vamos então analisar algumas passagens bíblicas que quando retiradas de seu contexto e com o agravante de sua situação tradutória, podem de fato nos levar a compreender erradamente esta situação.



 

PASSAGENS BÍBLICAS


 

 ★   "Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados."  -  Mt 26:28 / Mc 14:24 / Lc 22:20 / 1 Co 11:23-25

 

★ O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. - 2 Coríntios 3:6

 

★ E por isso é Mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna. - Hebreus 9:15

 

★   "Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido"  -  2 Coríntios 3:14 


Então vemos a frase “novo testamento” em tais versículos; isto então nos aponta que  os livros do antigo testamento e sua validade foram doutrinariamente substituídos pelos do novo testamento através de seu sangue?

 

 

 
EXEGESE DAS PASSAGENS BÍBLICAS EM QUESTÃO

★ Mateus 26:28 

Vamos ver como este texto foi escrito no antigo no grego koine através do manuscrito contido no códice sinaítico. Esta parte destacada refere-se a esta passagem que a palavra traduzida em questão como “novo testamento” está sublinhada. Vamos ler:

 

τοῦτο γάρ ἐστιν τὸ αἷμά μου τῆς διαθήκης τὸ περὶ πολλῶν ἐκχυννόμενον εἰς ἄφεσιν ἁμαρτιῶν·

touto gar estin tu raima mou tes diadekes tu peri pollon ekrrunomenon eis afesin ramartion


 

Tais relatos citados nestas passagens deste evento da ceia de Pessach ou seja, da páscoa; onde há a menção "novo testamento", a palavra  no original (grego koiné), é o sustantivo genitivo feminino singular  διαθήκης (diathēkēs), quem tem como significados de pacto, aliança, acordo. 

 

Então, obviamente que Cristo não estava se referindo aos livros do que conhecemos hoje como "novo testamento" e sim, de um novo pacto para expiação dos pecados.

 

Com a morte de Cristo e Sua ressurreição o sacrifício de animais não tinha mais lugar pois prefiguravam o Seu sacrifício único e suficiente. Que com tal sacrifício firmou a nova aliança (Hebreus 7:22 ; 8:6).


 

★ 2 Coríntios 3:6  

 

ὃς καὶ ἱκάνωσεν ἡμᾶς διακόνους καινῆς διαθήκης, οὐ γράμματος ἀλλὰ πνεύματος· τὸ γὰρ γράμμα ἀποκτείνει, τὸ δὲ πνεῦμα ζωοποιεῖ.

hos kai hikanosen hemas diakonous kaines diadekes ou gramatos alla pneumatos tu gar gramma apoktenei tu de pneuma zoopoiei


 

Já nesta passagem de 2 Corintios 3, Paulo estava se referindo conforme um estudo que já postei no canal, que no novo pacto a lei de Deus passa a ser escrita em nossos corações por meio do Espírito Santo.

 

Vemos tambem no antigo manuscrito referente a esta passagem que encontra-se o substantivo  διαθήκης (diathēkēs) que claramente se faz referência a um novo pacto ou aliança.

 

Então, esta passagem também não faz nenhuma referência a alguma divisão das escrituras entre um “antigo ou novo testamento”, da forma que temos hoje.


 

★ Hebreus 9:15

 

Καὶ διὰ τοῦτο διαθήκης καινῆς μεσίτης ἐστίν, ὅπως θανάτου γενομένου εἰς ἀπολύτρωσιν τῶν ἐπὶ τῇ πρώτῃ διαθήκῃ παραβάσεων τὴν ἐπαγγελίαν λάβωσιν οἱ κεκλημένοι τῆς αἰωνίου κληρονομίας. 

 

Em Hebreus também vemos através de seus manuscritos antigos de que onde se trata de um testamento, a raiz é diathēkē; aqui este substantivo encontra-se em dois tipos de variações tratando na primeira, que Cristo é mediador de um novo pacto onde estando o substantivo no caso genitivo e na segunda citação, referindo-se a transgressão do antigo pacto e por isso está no caso dativo.


 

★ 2 Coríntios 3:14 

 

Esta passagem eu deixei para o final das análises escriturais pois ela é a mais usada para defender a teses da anulação do antigo testamento. Vamos reler:

 

“Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;” - 2 Coríntios 3:14

 

Bom, já nesta passagem de 2 Coríntios 3:14, quando também retirada de seu contexto acompanhada da falta do conhecimento sobre os 39 livros que compõe o que conhecemos como “antigo testamento”, acaba fatidicamente nos transmitindo a idéia de que em Cristo, o antigo testamento foi de fato abolido.

 

Vamos ler na íntegra esta passagem de acordo com seu manuscrito:

 

ἀλλ' ἐπωρώθη τὰ νοήματα αὐτῶν ἄχρι γὰρ τῆς σήμερον τὸ αὐτὸ κάλυμμα ἐπὶ τῇ ἀναγνώσει τῆς παλαιᾶς διαθήκης μένει μὴ ἀνακαλυπτόμενον ὅ τι ἐν Χριστῷ καταργεῖται·

alla eporote ta noemata auton akri gar tes semeron hemeras tu auto kalumma epi te anagnosei tes palaias diadekes menei me anakulo-ptomenon hoti en Cristo katargeitai

 

Já no manuscrito acima encontramos os vocábulos gregos παλαιᾶς διαθήκης (palaias diadekes), que fazem referência ao "antigo pacto" ou "antiga aliança".

Se começarmos a examinar este capítulo do versículo 7 e com a tradução correta em mente, não teremos grandes dificuldades de compreender a real mensagem que o apóstolo quis nos passar.

 

Paulo começa se referindo de que quando o “ministério da antiga aliança” ou seja, os mandamentos que eram na verdade os “termos daquela aliança” que foram escritos em tábuas de pedras e entregues a Moisés; por ele ter estado na presença de Deus, sua face brilhava tanto que os israelitas não conseguiam firmar seus olhares direcionados à ele.

 

Então se dá uma continuidade na premissa de que se esse ministério que trazia condenação pelo fato dos mandamentos estarem escritos em pedra e obviamente, quem os transgredia estava cometendo pecado (pois pecado é transgressão da lei de Deus - 1 João 3:4), e sendo assim, além das penalidades de morte dependendo do mandamento transgredido; ainda seria réu de juízo no julgamento de Deus. A diferença é que na nova aliança, segundo a carta aos hebreus 8:5 e na carta aos romanos 8:1-8, todo o convertido tem a lei de Deus gravada então em seu coração pelo Espírito Santo de Deus e sendo assim, capacitado a cumprir o que a lei exige ou seja, ele é liberto da influência da carne que é pecaminosa e por consequência, se livra da condenação de Deus no juízo.

Por isso então que Paulo aí diz que o ministério desta nova aliança é mais glorioso do que o da primeira!

 

Vamos ler então a partir do verso 13 ao 16, com a tradução correta:

 

“E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório. Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu permanece sobre a lição do antigo pacto, o qual foi por Cristo abolido; E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. Mas, quando se converterem ao Senhor, então o véu se tirará.”  -  2 Coríntios 3:13-16

 

Então na verdade, tais palavras estão a nos dizer de que; a figuração do “véu” significa a fragilidade humana (em todos os sentidos), perante a aliança entre o homem e Deus; mas que, através de Cristo, este “véu” é por fim retirado.

 

Somente com a fé em Cristo na Nova Aliança o “véu da incapacidade” em cumprir as leis morais de Deus é retirado. 

Para aquele que não fez o novo Concerto através de Cristo, toda vez que as leis são lidas, ainda há o “véu” cobrindo seu entendimento. 

 

Vemos assim de que esta passagem também em nada faz referência sobre esta divisão bíblica que temos hoje sobre “antigo e novo testamento”.

 

______________________


 

Tendo-se então pouco conhecimento sobre as palavras "pacto, aliança e conserto", e usando destes textos isoladamente fora de seus contextos e com ajuda de uma tradução deturpada, cria-se doutrinas que são verdadeiras heresias que anulam erroneamente os livros que compõe o "antigo testamento" e sua doutrina..



Os livros do "antigo testamento" não foram invalidados. Tanto que muitas profecias contidas nesses livros ainda terão seu cumprimento no futuro; vários deles mencionam profecias que terão cumprimento na tribulação, no milênio e na nova terra. Como por exemplo as dos profetas Daniel e Isaías.

 

Assim como também no novo testamento muita coisa já se cumpriu ou teve caráter espiritualmente disciplinar focalizado na importância do sacrifício de um inocente para o perdão de um pecador com todo o conjunto das leis de tabernáculo que foram satisfeitas através do sacrifício do Messias.

Os ensinos do "antigo testamento" trazem consigo preciosos ensinamentos para o povo de Deus na atualidade.

 

Não podemos jamais nos esquecer de que a bíblia utilizada por Cristo e seus apóstolos para ensinar o povo foram as escrituras do "antigo testamento" , pois os escritos do "novo testamento" só começaram a ser copiados e distribuídos quase noventa anos após morte e ressurreição de Cristo.

 

Vamos analisar algumas referências sobre as escrituras que nada falavam sobre o “AT”:

 

 ✎   "Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida, e a Escritura não pode ser anulada"  -  João 10:35 

 

✎   "Toda a Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça"  -  2 Timóteo 3:16 


 

Então, ao já sabermos que quando lemos na bíblia a menção "Escrituras" está sendo referindo aos livros do que conhecemos como "antigo testamento". E ao sabermos disso, também concluímos de que seria impossível Cristo tê-lo anulado em Sua morte.

20200724_145450.png
20200724_145040.png
20200724_144508.png

Estudos &

Análises

Sobre a CCB

Informações

& Curiosidades

ESTA NÃO É A PÁGINA OFICIAL DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL

Os estudos, análises e opiniões presentes nesta página e no canal não são provenientes do ministério da CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL e sim, feitos por mim de forma independente.

C.C.B. ESTUDOS - Centro de Capacitação Bíblica